PROJECTO FLEXIVINIL

Objectivo

Desenvolvimento de novos materiais de base PVC com comportamento flexível, sem utilização de plastificantes externos, com aplicação na indústria automóvel, nomeadamente em estofos.


Introdução


O poli(cloreto de vinilo) (PVC) é o terceiro polímero mais consumido no mundo com uma taxa de crescimento anual de 3,4% na última década. Para muitas aplicações finais o PVC é aditivado com significativas quantidades de plastificante(s) de modo a obter a flexibilidade requerida. A utilização de plastificantes externos na tecnologia atual tem acarretado inúmeros problemas que se relacionam com a migração dos plastificantes para o exterior da matriz polimérica, normalmente para a superfície do artigo final. Este fenómeno, que potencia a perda das propriedades mecânicas do material e levanta questões relacionadas com a toxicidade do plastificante migrado, tem representado importantes restrições na utilização e crescentes preocupações nesta fileira industrial do PVC. Este projeto visa a preparação de copolímeros de bloco de base PVC com comportamento intrinsecamente flexível de modo a eliminar a necessidade de utilização de plastificantes externos. A produção de materiais flexíveis de base PVC com especificações técnicas similares aos atuais, mas isentos de plastificantes externos, potencia a sua utilização em aplicações em que a migração é fator crítico, nomeadamente nos produtos de maior valor acrescentado. A plastificação deste novo material será assegurada pela utilização de segmentos poliméricos de base poliacrilato, que lhe conferem o caráter flexível, ligadas à cadeia de PVC ainda na fase reacional. A tecnologia de polimerização inovadora baseia-se na polimerização radical viva (LRP), a qual permite a síntese de macromoléculas com estrutura controlada e terminais ativos de cadeia que podem ser utilizados para copolimerização. Previsivelmente será necessário adaptar as tecnologias atuais quer da construção dos materiais, quer do seu processamento dos produtos tradicionais, pelo que o esforço necessário ao seu desenvolvimento se justifica em aplicações de maior valor como é o caso da indústria automóvel, caraterizada pelo elevado grau de exigência e especialização.




Projeto I&DT em Co-Promoção, com o Nº 3320, financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI), com as seguintes características:
Inicio do Projeto: Jan 2016
Fim do Projeto: Dez 2018

Consórcio

Universidade de Coimbra

CIRES

TMG Automotive

Contacto

arnaldo.tomas@cires.pt
+234 811 200